sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Helicópteros Desconhecidos - Changhe Z-11 - O "Esquilo Chinês" (AS350)

(Foto: Sino Defense)

A China é mundialmente conhecida, entre outras coisas, pela sua capacidade de "copiar" tudo que existe no planeta e que lhes interessa. No meio aeronáutico não poderia ser diferente. O Z-11 chinês, possui uma "incrível" semelhança com o Eurcopter AS 350 Ecureuil (Esquilo no Brasil; ou AStar nos EUA). 

CLICK NA MATÉRIA PARA VER MAIS INFORMAÇÕES E FOTOS

Com uma agressiva política de crescimento e desenvolvimento, tanto no âmbito militar, como industrial, a China tem tido um crescimento espantoso e em um curto espaço de tempo. Sua industria aeroespacial segue o mesmo padrão, criando foguetes, mísseis, satélites, aviões de transporte, aviões de caça, helicópteros e etc.

Dentro desse contexto, os chineses "criaram" alguns helicópteros para atender às duas demandas internas e também visando o mercado internacional. Entre eles, o Z-11 (Zhi 11), um helicóptero monoturbina leve, de seis lugares (incluindo o piloto), da classe de 2 toneladas, que tem aplicações civis e militares.

Versão militar do Changhe Z-11.
(Foto: China-Miltary Blogspot.com)

Segundo o fabricante, o Z-11 foi concebido e desenvolvido na China e é o primeiro tipo de helicóptero com os direitos de propriedade intelectual de propriedade independente da China, além também de ser o primeiro tipo de helicóptero certificado para ciclo completo de gestão da aeronavegabilidade.

Qualquer semelhança é mera coincidência.

Obviamente, o fato de algo ser "copiado" não tira seus méritos ou qualidades. O Z-11, assim como o Esquilo, possui excelentes características de performance e grande versatilidade para emprego em missões civis ou militares. Visualmente, podemos notar algumas diferenças em relação ao Esquilo (AS 350), externamente, o "nariz" um pouco mais alongado no modelo chinês. O Z-11, assim como o Ecureuil, foi projetado com o sistema convencional rotor principal tripá, e possui também um rotor de cauda convencional (bipá).

Z-11 versão militar, com sistema de câmera e mira montado acima da cabine, na parte frontal esquerda e dois lançadores de mísseis, possivelmente guiados, anti-veículos.
(Foto: Chinese Military Aviation)

Testes de voo foram realizados com sucesso no final de 2002, no Planalto Qinghai no Tibet, para certificação de aeronavegabilidade civil. Muitos dos testes de voo são reconhecidos internacionalmente como "programa de risco de voo" Classe I. Esses itens têm preenchido a lacuna da área de voo de teste do helicóptero em oito aspectos, como os teste de reacendimento do motor em voo, teste de auto rotação e etc. 

O Zhi-11 estabeleceu muitos novos recordes nacionais na história do voo de helicópteros na China, e mantém a maior taxa de disponibilidade dos últimos anos. Até o final de dezembro de 2005, a frota em serviço do Z-11 acumulou mais de 40.000 horas de voo e 230.000 decolagens e pousos, com uma taxa de disponibilidade superior a 95%. Até o presente, devido a sua confiabilidade, nenhum acidente jamais ocorreu com o modelo.

Nessa versão militar do Z-11 é possível notar o "bocal" da turbina bastante semelhante à do AS 350 BA, o sistema de câmera acima da cabine e o "cabide"para armas, no caso, vazio.
(Foto: Weimeng / Airliners)

Entre os inúmeros recordes obtidos em janeiro de 2000 pelo Changhe Zhi 11, durante os testes de voo em grandes altitudes e em temperaturas de frio extremo, está o de permanência em voo (endurance) de mais de 5 horas, voando as duas últimas horas sob a temperatura de -38℃. Também atingiu um tempo de voo de translado recorde em um único dia, de 8 horas e 33 minutos, em temperaturas entre 5℃ e -38℃, sem nenhuma falha detectada durante os 1332 km de voo. Os testes continuaram nos dois dias seguintes de voo de translado até completar 2.470 km e o helicóptero permaneceu em perfeitas condições, durante o sobrevoo de mais de 7 províncias. 


A Changhe tem feito modificações no Z-11 para atender às necessidades nacionais de defesa e às demandas do mercado civil doméstico. Até agora a empresa apresentou algumas adaptações dos modelos disponíveis para o Z-11, como o Z-11 "Police Helicopter" - versão policial, Z-11 versão armada, Z-11 MB1, Z-11 para fotografia aérea, Z-11 "News Copter" e Z-11 para inspeção de linhas elétricas, entre outros.

Z-11 News Copter.
(Foto: Yuxiaobin / Airliners)

Z-11 Police Helicopter.
(Foto: K.H.Yim / Airliners)

Nota do autor: em 2007 o Exército da Argentina fez inúmeros e rigorosos testes de avaliação com o Changhe Z11 MB1, versão militar armada com motorização Turbomeca Arriel 2B1A, mais potente em relação ao modelo inicial, similar à do Eurocopter AS 350 B3. A intenção era não só adquirir o modelo, como futuramente participar da construção de alguns componentes. Ele seria utilizado como helicóptero de busca e salvamento, bem como plataforma armada para ataque leve. Entretanto, nenhuma compra foi concretizada até o momento.

Versão militar do Z-11 (MB1) oferecida ao Exército Argentino, pintado nas cores daquela força.
(Foto: Aeromilitaria Argentina / Airliners)

Segundo informações não oficiais, o projeto Z-11 foi lançado em 1989 e teve o início dos trabalhos de desenvolvimento em 1992. A avaliação técnica foi concluída em 1996, e a produção de pequenos lotes começou em 1997, as entregas para os primeiros clientes foram feitas em setembro de 1998. O Programa de teste incluiu voos, totalizando 1.332 Km em temperaturas de -43°C a 6°C, incluindo uma surtida de 2 horas viajando a -38°C. O projeto foi finalizado em dezembro de 2000, e o Z-11 recebeu a certificação CAAC em Abril de 2001. A CAAC aprovou para produção em série,  o modelo para uso civil, que  foi anunciada em 23 de dezembro de 2002. Uma versão armada, equipada com canhões, foguetes não guiados, mísseis guiados e um sistema de visão e mira para baixa luminosidade e infra-vermelho, estaria sendo testada. Uma versão mais recente estaria para ser produzida, é o Z-11 MB1, que fez seu primeiro voo em 7 de março de 2003, impulsionado por uma turbina Turbomeca Arriel 2B1A, de 847 shp, similar à utilizada no Eurocopter AS 350 B3.

No Changhe Z-11 a estrutura da fuselagem é 70% feita de materiais compostos. O helicóptero possui as pás do rotor principal também feitas de materiais compostos, trem de pouso tipo skid fixo e o motor é uma turbina WZ8D de 684 shp (potência máxima de decolagem), potência contínua de 604 shp e potência de cruzeiro de 470 shp.

Veja um quadro comparativo com as características gerais do Changhe Z11 e do Eurocopter AS 350B2:

Modelo
Changhe Z-11
AS 350 B2
Dimensões
Diâmetro do rotor principal
10,69 m
10,69 m
Diâmetro do rotor de cauda
1,86 m
1,86 m
Comprimento total
13,01 m
12, 94 m
Altura
3,14 m
3,14 m
Comprimento da fuselagem
11,24 m
10,93 m
Peso e Carga
Peso vazio
1.253 kg
1.220 kg
Max take-off weight (internal  load)
2.200 kg
2.250 kg
Normal take-off weight
2.000 kg
N/D
Performance (Normal Take Off Weight*, flight altitude 1000m, ISA)
Velocidade de cruzeiro rápido
> 128 kt
133 kt
Velocidade de cruzeiro econômico
> 118 kt
122 kt
Max. rate of climb
> 9,0 m/s
8.5 m/s
Alcance
> 600 km
666 km
Max. Endurance
> 3.9 h
4.4h
Hover IGE  (HOGE)
> 3.700 m
3.000 m
Hover OGE  (HIGE)
> 2.930 m
2.300 m
Teto de serviço
> 5.240 m
4.600 m
Passageiros
1 + 5
1 + 5
Potência do motor
684 shp
732 shp
* - As características de performance do Z11 foram aferidas com o “peso normal de decolagem”, 2.000 kg. No AS 350 foram aferidas com o MTOW (Maximum Take Off Weight) de  2250 kg.




Por: Daniel Queiroz
Fonte: Changhe, Aviastar, Airliners (fotos), Sino Defense

Nenhum comentário:

Postar um comentário